Laboratório Cênico 2017

 

 

Laboratório Cênico – 2017

Aconteceu na Casa de Cultura Arte in Foco, dos últimos dias 23 à 27 de Janeiro, o Laboratório Cênico 2017. Foram cinco dias de Workshops e Treinamentos voltados para a Linguagem Cênica, envolvendo os recursos de Dramaturgia, Técnicas Vocais e Estudos da Respiração como base para emoções. Essa sequência de Oficinas contaram com os professores e suas respectivas modalidades:

 

23/01 – Segunda – 16h às 18h30

* A Dinâmica da Dramaturgia com Flavia Nascimento

Construção de dramaturgia básica de forma lúdica. Jogos e dinâmicas de construção. Ao final da oficina o aluno será capaz de montar uma esquete.

 

24/01 – Terça – 16h às 18h30

* Teatro e a Voz com Ana Paula Pereira

Cuidados com a saúde geral e vocal, resistência vocal e o aprimoramento da voz, no intuito de desenvolver a plasticidade vocal na interpretação dos diferentes estilos no teatro, serão alguns dos temas abordados na oficina.

Técnicas: Técnica Vocal, Análise do repertório do grupo Roupa Nova.

25/01 – Quarta – 16h às 18h30

* O ator como atleta das emoções: Rasaboxe com Marcelo Soares

Introdução às técnicas de RasaBoxes, treinamento psicofísico baseado na teoria da Rasa, apresentada nas escrituras sagradas da arte clássica indiana (Natyasastra), com o objetivo de gerar estados emocionais específicos e desenvolver a construção do personagem e a partitura cênico‐corporal.

26/01 – Quinta – 16h às 18h30

*Iniciação em Cordas com professor Giliade Lima

A oficina em cordas tem como finalidade apresentar ao aluno os primeiros contatos com o violão de forma lúdica, utilizando uma linguagem de fácil entendimento e  prática.

 

27/01 – Sexta – 16h às 18h30

* Teatro e a Voz com Ana Paula Pereira

Cuidados com a saúde geral e vocal, resistência vocal e o aprimoramento da voz no intuito de desenvolver a plasticidade vocal na interpretação dos diferentes estilos no teatro serão alguns dos temas abordados na oficina.

Técnicas: Técnica Vocal, Análise do Musical Rock of Ages e Prática da música Don´t Stop Believen.

 

 

Os cursos tiveram uma média de 35 alunos, atores, alunos de teatro, de diferentes faixas etárias e de convívios diferenciados, promovendo assim, o aprendizado, compartilhamento de experiências e desenvolvendo uma maior forma de interação.